A escola de magia de Meltis Capitulo 4 O Desespero

Bom agora elas tinham que ficar felizes não? Conseguiram que eu entrasse naquele grupo e arriscasse matar as três com os meus pesadelos, por que espíritos das trevas queriam me dominar, e espíritos da luz precisam de minha ajuda, o que mais eu poderia querer. Thirha não escondia o seu sorriso, sentou em sua cama e com as outras ao seu lado e as três ficaram me olhando, devia ser fácil para eles ficarem paradas e não arrumarem as coisas para irmos logo as três não estavam sento disputadas por espíritos das trevas e da luz, então Terwing com toda a sua doçura fez as pergunta que as três queriam fazer.

-Alice, iremos de ajudar mas você precisa nos contra exatamente o que está acontecendo, a diretora nos falou sobre você uma noite ante de sua chegada e nos deu amuletos de proteção, e nos proibiu de fazer perguntas, mas se quer a nossa ajuda precisamos saber o que está acontecendo.

Terwing estava certa, mas queria apenas a ajuda de Thirha, mas obviamente as outras não iriam aceitar ficar de fora, apesar de terem poderes completamente diferentes as três estavam sempre juntas se queria a ajuda de um deles tinha que aceitar a ajuda das outras. Mas como contar para elas que me ajudar poderia colocar a vida deles em risco? Como falar que existiam espíritos das trevas querendo dominar o meu corpo? Bom não era atoa que Thirha era considerada a melhor aluna de magia da luz, pois foi ela quem respondeu.

-Espíritos das trevas estão agindo sobre Alice, eles querem que ela se torne uma maga das trevas. Provavelmente ela quer ir para minha casa falar com minha mãe, a vários anos atrás ele ajudou um reino humano a norte de nossa floresta, alguém invocou espíritos das trevas lá. Alice você quer que ela de ajude a se proteger destes espíritos?

-Quero aprender magia da luz, nosso professor disse que não aceitei a magia da luz com meu coração e que ele não poderia me ajudar, sei que em sua casa os elfos nascem com a magia da luz e que a usam de forma natural, assim como usam magia da terra, preciso aprender isto, não posso deixar que minguem mais morra por minha causa.

Eu não sei exatamente por que, mas ao falar com elas comecei a chorar. A chorar muito quase incontrolavelmente, as três me abraçaram e eu não conseguia falar mais nada, pois em minha mente via apenas as minhas irmãs mortas em suas camas, a minha mãe chorando  e meu pai paralisado na porta do quarto, sentir ele me pegando pelo braço, senti novamente a dor do aperto e ele me levando para fora da casa, ouvir novamente ele gritando que não aceitaria mãos minha magica, que não me queria como sua filha, toda aquela dor que guardava tão desesperadamente estava saindo, eu estava assustada e com medo, eu precisava me livra daqueles espíritos das trevas o mais rapto possível.

Trisa, se afastou e começou a arrumas nossas malas, ela era a mais pratica de todas nós, agiam, bolava planos e já os colocava em pratica na mesma hora, muitas vezes sem comunicar qual era o plano, porem naquele momento foi fácil saber o que ele estava fazendo, preparando nossas malas para a viajem ela percebeu a urgência de meu problema, ela sentiu a urgência em minhas palavras, e a melhor coisa daquela três e o que ela tinham em comum era um coração bondoso que sempre fazia de tudo para ajudar as pessoas, sentia inveja daquilo, não conseguia ser tão boa quando aquelas três.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.